Acesa

by Aurélia

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.
    Purchasable with gift card

      name your price

     

1.
04:49
2.
05:48
3.
4.
5.
06:08
6.
07:52
7.
03:49
8.
03:09

about

Produzido por Marta Aurélia e Eric Barbosa
Concepção e direção artística: Marta Aurélia
Gravação e mixagem: Eric Barbosa
Co-direção artística e assistência de mixagem: Uirá dos Reis
Gravado entre 2016 e 2018 na Trincheira Estúdio (Fortaleza/CE - Brasil)
Masterização: Klaus Sena - KlausHaus Studio (São Paulo/SP - Brasil)
Desenho da capa: Antonia Malau, Natália Parente e Aurélia
Designer gráfico: Diego Maia
Fotos: Natália Parente
Figurino: Silvania de Deus
Maquiagem: Netinho Nogueira
Assessoria de Imprensa: Bebel Medal
Midia Social: Nanda Loureiro
Produção executiva e fonográfica: Ana Azeredo
Selo: Trincheira / Índigo Azul / SuburbanaCo
Distribuição: Índigo Azul / ONErpm

credits

released November 5, 2018

license

all rights reserved

tags

about

SuburbanaCo Fortaleza, Brazil

contact / help

Contact SuburbanaCo

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: Escombros
Estive aqui antes
Vocês também estiveram
Houve quem colorisse as flores,
Os céus e a campina,
Quem escutasse os cânticos agudos
Soprados pelo vento
E a cada passo cantarolasse a poesia
Encravada na terra e
No leito de seus rios
Longínquas e febris alcovas
Celebraram novos amores
Cujos olhos se foram
Durante a anunciada tempestade
As praças e ruas foram alegres
Há muito, muito tempo...
Sobraram apenas as vozes sufocadas
De quem sucumbiu sob os escombros
Track Name: Entre
Entre a solitude e a partilha, transito,
Vacilante, entre a instabilidade e a
confiança.

O próximo passo – que horas antes
indicara vir de trás –, não sei de onde
partirá. Não sei de onde partirá.

Sem proteção qualquer, a não ser a
própria sorte – e algum sinal de
esmaecida lucidez -, avanço,
mergulhada no intraduzível do
instante.
Track Name: Cidades Invisíveis
PARECE QUE FOI ONTEM QUE TE ENCONTREI NAQUELA
CIDADE TÃO INVISÍVEL QUANTO MEU PRÓPRIO ROSTO.

PARECE QUE SONHEI – FICÇÃO A CÉU ABERTO – ENTRE
NUVENS DE ALGODÃO,

ESSA TUA CABELEIRA QUE ACARICIA MEU OLHAR
SOBRE TUAS HÍBRIDAS FACES:

ORA RELUZEM SÓIS MEDIEVAIS, ORA FLANAM EM
MINHAS NOVAS RUAS.
DAQUELE IR E VIR, ENTRE TUA CASA E A MINHA – NA
RUA DO ARAME -, TRAGO FLORES, DORES E TUAS
NARRATIVAS DE TRANCOSO QUE ME DEIXAM SEMPRE
EM BIFURCAÇÃO, EM ESTADO DE GUERRA.

TÃO PAI, TÃO MÃE!

DE TEU BAÚ – COM CHEIROS GUARDADOS DE AMOR –,
POR ONDE AVANÇA O PORTAL PARA O NOVO MUNDO,
ONDE REMEXEM AFETOS ATEMPORAIS, RESSOA O
SILÊNCIO DE TUA ALMA A CANTAR AS FANTÁSTICAS
VOLTAS QUE O MUNDO DÁ.
Track Name: Ando Cantando O Que Sou
ando cantando o que sou
ando cantando o que sou
e o que não sou desliza sob a pele e
pelos fios trançados de tuas redes
pelos tropeços nas linhas
pelos tropeços nas linhas
que ora figuram em seus bordados
ora desfiam em seus portais
oráculos atemporais
às vezes driblo e corro na estrada
salvando trilhas do que não sou
e o que sou deixo que a poesia
diga de um jeito que talvez soe
menos amargo, menos triste...
Track Name: Precário
“Que não é estável ou seguro:
1 inseguro, indefinido, inconstante,
melindroso, incerto, transitório, provisório,
contingente, inconsistente, arriscado,
duvidoso, suscetível, instável, indeciso.

Que é escasso: 2 pouco, deficiente,
insatisfatório, minguado, insuficiente, escasso”

Quanto posso falar daquilo que me é
precário...! O que me falta, se tanto me cabe?
A precariedade é presença tão contumaz que
dela retiro fios, miçangas, purpurinas e até –
pasmem! – poesia!

Tentam me inflar sobre a falta que geraria o
precário... Olho de soslaio e sorrio – um
sorriso, por precariedade, impreciso, quase
imperceptível..

A falta que gera o precário não me faz falta...
Track Name: Provisória
Entre a solitude e a partilha, transito,
Vacilante, entre a instabilidade e a
confiança.

O próximo passo – que horas antes
indicara vir de trás -, não sei de onde
partirá. Não sei de onde partirá.

Sem proteção qualquer, a não ser a
própria sorte - e algum sinal de
esmaecida lucidez -, avanço,
mergulhada no intraduzível do
instante.
Track Name: Varanda
Você nem imagina como é belo e triste
olhar o horizonte da minha varanda.

Essa paisagem surge como um mosaico
ora cinza, ora multicor.

O mar está bem ali, eu sei;

e eu daqui me acomodo num barco à deriva.

Como é bela e calma a perspectiva
quando me lanço nua diante do invisível.

Como é difícil nada fazer,
apenas deixar que as coisas falem por si...

If you like Acesa, you may also like: